sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Primeira realização cinematográfica de Nicolau Breyner

Nicolau Breyner volta a dar mostras da sua versatilidade ao assinar, pela primeira vez, uma realização cinematográfica.
"Contrato" é o nome do filme que a produtora Isabel Chaves, responsável pela Hora Mágica, decidiu produzir e entregar ao multifacetado actor para o realizar.
"Contrato" é o resultado da adaptação para Cinema da obra "Requiem para D.Quixote", de Dennis McShade, pseudónimo do jornalista Dinis Machado, segundo uma versão de Pedro Bandeira Freire e com o argumento assinado por Álvaro Romão e Nicolau Breyner.
Já em rodagem, "Contrato" vai estrear em Cinema dois nomes em ascensão no audiovisual português, Cláudia Vieira e Pedro Lima.
Dois jovens actores que surgiram na televisão e ganharam o estatuto de vedeta fruto da aposta forte de José Eduardo Moniz na produção nacional e através das telenovelas da TVI. A TVI que assina a co-produção de "Contrato" de parceria com a Hora Mágica.
"Contrato", como filme de acção que é, vai revelar desempenhos inéditos quer da parte dos jovens actores como Cláudia Vieira, Pedro Lima ou Pedro Granger como dos consagrados Nicolau Breyner, Vítor Norte, Sofia Aparício, José Wallenstein ou José Raposo.
"Contrato que será rodado nas regiões de Cascais, Sintra e Mértola, conta com o apoio indispensável do ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, Skoda, Hotel Real Villa Itália, Estalagem Santa Virgínia, Sport Lisboa e Benfica, Bar Os Templários, Marina de Cascais, Câmara Municipal de Sintra, Câmara Municipal de Mértola e Junta de Turismo da Costa do Estoril.

3 comentários:

Mendez disse...

Este filme antes de estar terminado já tem uma mais-valia: o facto de um maiores vultos da representação portuguesa estar pela primeira vez por detrás das câmaras a realizar um filme. Por isso espero que filme seja apenas o início de um novo caminho para Nicolau Breyner.

A Arte em Portugal é sempre um assunto encarado pela classe política como algo de menor valor e que muitas vezes só persistem e subsistem por carolas que encaram os projectos que tem entre mãos como missões kamikazes, ou não estivessemos a falar de pessoas põe em risco a sua vida particular. Mas vale a pena lutar. Houve quem lutasse durante 48 anos para ver uma luz ao fundo do túnel. Por isso não é lutar de cabeça erguida e não achar que estamos perante moinhos de vento. Bem hajam todos os que lutam pela Cultura e pela Arte Portuguesa.

carlosax disse...

Será que finalmente vamos estar à altura de filmes americanos? Espero bem que sim..pelos menos do que vi dos traillers, parece-me um excelente filme, com cheirinho a Hitman...Desde já parabéns!

Anónimo disse...

bem, eu ja vi o filme e nao gostei nada ...

Acho um desastre .. ao inicio ilude.. parace que realmente e deste que teremos um grande filme portugues.. depois desilude, desde a ma qualidade de gravaçao, aos efeitos completametne .. bah ..~

enfim ..

reparem na cena de explosao do jipe..

Da mesmo para reparar no baixo orçamento que dispunham ...